Irene no ha cambiado su forma de vida por la presbicia

A Irene não mudou o seu estilo de vida por causa da presbiopia


Irene – 46

A ex-modelo Irene trabalha como gestora de projetos freelance. Adora moda e é uma entusiasta da fotografia.

Os primeiros anos com miopia

Irene usava óculos durante a adolescência, mas começou a trabalhar cada vez mais como modelo e a participar em desfiles, e não podia usar óculos. Mas sem eles via muito pouco e não distinguia distâncias nem tinha a noção de profundidade. Um dia, durante um desfile, não se apercebeu que tinha chegado ao fim da pista e caiu no colo do estilista! Foi então que percebeu que tinha chegado o momento de usar lentes de contacto.

Confortável desde o primeiro momento

Quando pensa no assunto, não entende por que demorou tanto para usá-las. Não só são ideais no trabalho, como também para sair ou ir ao ginásio. E além do mais, pode ainda comprar todos os pares de óculos de sol que desejar, sem precisar de ter lentes graduadas.

‘Um sucesso imediato para Irene’

A chegada da presbiopia

Há cerca de três anos, apercebeu-se que tinha cada vez mais dificuldade em ler. Não quis dar importância porque não queria admitir que estava a ficar mais velha e, a princípio, comprou o maior telemóvel que conseguiu encontrar. Não comprou óculos de leitura porque acreditava que poderia manter os olhos "em forma" se não o fizesse. Mas algum tempo depois percebeu que necessitava de uma solução.

Descoberta das lentes de contacto multifocais!

A Irene não sabia que elas existiam, mas encontrou-as enquanto navegava pelo site Melhorcomlentes.com. Sentiu curiosidade e fez um exame visual na ótica. Foi amor à primeira vista.

Rebecca explica su experiencia con las lentes de contacto - presbicia

Não demorou muito para se habituar

Algumas pessoas que usam lentes de contacto multifocais disseram que a adaptação pode custar um pouco, mas não foi o caso. A verdade é que viu que as vantagens eram imediatas. Passou-se o mesmo quando era pequena e usou um par de óculos pela primeira e conseguiu distinguir as folhas das árvores pela primeira vez. Foi como abrir a porta a um mundo novo.

Sentindo-se de novo livre aos 40!

Irene recomenda-as a quem tenha problemas com lentes de contacto e óculos de leitura. Gosta também do facto de não ter de afastar o telemóvel para ver o ecrã, algo que já viu muitas pessoas da sua idade fazer. Gosta muito de ir de férias, apanhar sol na piscina e poder ler um livro usando óculos de sol sem graduação.

Mais histórias