Carla ha solucionado sus problemas cambiando el tipo de lentillas

A Carla adorou poder resolver o desconforto causado pelas lentes de contacto


Carla - 34

A Carla é bailarina profissional, modelo e empregada de mesa. Enquanto bailarina, faz parte de um grupo de dança que atua em vários eventos. Adora passar longas temporadas de férias e sonha em viajar pelo mundo. Mas ela também gosta de passar o tempo livre em casa a ver filmes e séries com o marido e com os gatos.

O início de uma etapa

Carla começou a usar óculos quando tinha doze anos e não gostava. Naquela idade, era normal sentir-se insegura com sua aparência e também a incomodava quando dançava ou fazia desporto. Felizmente, deixaram-na usar lentes de contacto pouco depois.

Demora pouco tempo para se habituar!

Demorou mais ou menos um mês para se habituar a elas, mas depois correu muito bem. Os óculos que tem agora ainda têm a graduação que usava há dez anos atrás*, mas como os usa tão pouco, nunca trocou. Carla pensou em fazer a cirurgia a laser, mas parece-lhe muito complicada e está um pouco assustada.

* Recomendamos uma avaliação periódica com um profissional da visão

‘As lentes de contacto não estão a causar nenhum problema’

Ultrapassar o desconforto

Chegou um momento em que Carla começou a sentir algum desconforto, especialmente ao final do dia. Começou pouco a pouco e, a princípio, tudo corria bem. No entanto, a partir de determinado ponto começou realmente incomodá-la. Por isso, decidiu fazer um novo exame. Acontece que precisava de um tipo de lentes de contacto diferente. Este tipo de situações são detetadas com consultas regulares com o profissional da visão.

Carla ha solucionado sus problemas cambiando el tipo de lentillas

São inseparáveis

Usa-as mesmo quando está em casa a descansar e a ver televisão. Na verdade, nunca lhe causaram problemas.

Aprenda com a Carla

Habituou-se imediatamente a elas e desfrutou de muito mais liberdade para fazer o que queria. Mas insiste que é necessário fazer um exame ocular uma ou duas vezes por ano e não esperar demasiado.

Mais histórias